Se você não vadia, não desvadie as vadiantes

11246686_1585594091752729_5130016398276287395_n
Pelo amor de Gaga! Não vão misturar num bololô as trabalhadoras sexuais (prostitutas, atrizes pornô, dominatrixes, etc) e práticas sexuais não convencionais, com essa barbárie que tem rolado mundo a fora. Gang Bang ou sexo com uma pessoa rodeada de outras pode ser sexo consentido. Assim como um marido e uma esposa transando no escuro (a.k.a baunilha) pode ser sexo consentido. Vocês acham que quem faz sexo não convencional tá mais sujeito a violência do que alguém hétero que casa no papel e na igreja? Se sim, é como supor que o melhor é a gente se preservar e andar com saia no joelho. Mas veja só, um monte de mulheres tem tesão em práticas não convencionais, inclusive com homens. Se esses homens não souberem respeitar o contexto (diferenciar, por exemplo, quando a mina gosta e quer ser chamada de gostosa ou vadia no privado, sem que isso seja feito por qualquer um em qualquer lugar), esse problema é do machismo estrutural. Não é da prática ou desejo desviante.
Existem mulheres que se sentem duplamente culpadas ao passarem por violência nesses contextos, primeiro, porque a sociedade hipócrita e misógina diz que elas “procuraram” ao serem promíscuas ou realizarem fantasias pouco convencionais. Segundo, porque nem mesmo muitas feministas sabem acolher mulheres que tem o desejo latente por sexo consentido em dinâmicas pouco usuais, aí ficam forçando a barra falando que ela tem Síndrome de Estocolmo e que é melhor buscar um jeito “correto” de ter tesão (parece dica de programa religioso da madrugada).
Não demonizem posições ou práticas desviantes da norma. A igreja, o estado, a cultura já culpabilizam os corpos que desejam o que escapa da padronização. Tem mulher que é exibicionista, tem mulher que gosta de porra na cara, tem mulher que coloca um pau de plástico e penetra cu de homem, se você não gosta dessas coisas, não pratique, não faça. Sexo não convencional não é obrigação, é uma necessidade se seu corpo demanda isso, não meça suas demandas eróticas como parâmetro pro mundo. E não venha com esse papinho de que o patriarcado tá batendo palmas pra mulheres que fazem parte ou consomem pornografia, o patriarcado quer é mulheres mortas ou controladas. Nenhuma mulher atende as expectativas, nenhuminha. E todas devem ser respeitadas, não ter suas arestas acertadas, endireitadas, em busca de assepsia moral.
Nesse exercício, se exima de culpabilizar práticas desviantes. Não é porque elas podem ser ofensivas e perturbadoras pra você, que elas não são saudáveis e consentidas entre quem as realiza com gente responsável e ética.
Anúncios

6 comentários sobre “Se você não vadia, não desvadie as vadiantes

  1. Nossa, esse texto merece parabéns ❤️ Essa semana li tanta bosta do tipo “você gosta que puxem o cabelo na hora do sexo pois isso foi imposto pelo patriarcado”. Então, obrigada por falar de forma tão sincera a mais pura verdade.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s